CAPA

Olá de novo, seja bem-vindo de volta ao PERFIL RENEGADO. Primeiramente quero agradecer ao feedback maravilhoso dado nas ultimas edições, esse formato que criei pra essa coluna da um imenso trabalho de pesquisa e é ótimo saber que está funcionando 🙂

Se você é novo por aqui, segue uma pequena explicação do formato:

PERFIL RENEGADO – A cada nova edição, vou trazer especialmente para você, um perfil detalhado de algum ícone da cultura pop (ou não) e darei a minha visão sobre o mesmo. Certo, eu posso explicar melhor do que isso. É o seguinte…

Se você é nerd como eu e não gosta de cultura de superfície, está sempre buscando saber um pouco mais sobre tudo, não é mesmo? Pois bem, a proposta aqui é trazer a minha análise e reflexão sobre alguns perfis, sejam pessoas famosas, personagens fictícios ou personalidades históricas. Seguindo esta linha, trago também o máximo de curiosidades e fatos interessantes sobre cada perfil escolhido, mas como a postagem não pode ficar xigaaaante (vai ficar :P) e meu conhecimento é limitado, conto com você para somar conhecimento deixando um belo comentário =). Pode ser headshot, caso eu erre algo, ou pode acrescentar alguma coisa que eu deixei escapar, a brincadeira é exatamente aprendermos juntos.
Então chega de enrolação e vamos nessa o/.

hi-res-88977784-michael-jordan-of-the-chicago-bulls-drives-the-ball-up_crop_exact

“Se definissem jogador de basquete no dicionário, precisariam incluir uma foto de Michael Jordan.” – Grant Hill

Na minha ultima coluna aqui falei sobre o Mestre Bruce Lee, discorri um pouco sobre sua filosofia e como seu discurso “Be with Water” fala sobre se adaptar a qualquer situação e se tornar completo, alcançar a excelência, uma tarefa que obviamente não é nada fácil. Porém hoje vou falar de um homem que prova ser possível, o cara que mostrou que um homem pode voar (não é o Santos Dumont… ainda). O Perfil de hoje é sobre Michael Jordan, a pessoa que personificou o meio em que atuava e o revolucionou definitivamente.

Michael foi um marco não só no basquete, mas no esporte como um todo, mas antes de falar sobre como ele fez, irei pontuar o por que.

Jordan teve uma infância comum, cresceu na Carolina do Norte, desde cedo treinava basquetebol com seu irmão mais velho que o incentivou e também ascendeu seu espirito competitivo, característica essa que o acompanharia por toda sua carreira, tantos nas horas boas quanto nas ruins.

Seu irmão sempre o vencia por vantagem na altura e idade e isso fez com que M.J treinasse duro até que esses fatores não fossem mais importantes, em dado momento sua habilidade anulava essa adversidade. Jordan disse que quando o venceu, sabia que poderia vencer qualquer um.

Michael era apaixonado pelo esporte, e o levava extremamente a sério, mesmo assim sua família não acreditava que ele se tornaria um profissional. Mas ele foi contra tudo e contra todos, inclusive o técnico do seu colégio que o recusou no time por conta da sua altura (na época algo em torno de 1,80), mas Jordan não desanimou, encarou o desafio e no ano seguinte não só entrou no time como ganhou uma bolsa na universidade da Carolina do Norte. Mesmo assim as pessoas próximas a ele não achavam que isso iria mais longe, elas estavam erradas!

No campeonato universitário Michael provou não ser só mais um na multidão, fazendo grandes performances e marcando o ponto decisivo (coisa que iria se repetir muito ao longo da carreira) que garantiu a vitória de seu time, direcionando assim seu destino rumo a NBA, mas não antes de ser campeão Olímpico provando realmente ser uma estrela em potencial.

Em 1984 M.J foi draftado pelo Chicago Bulls como o terceiro jogador mais requisitado pelos times. Não demorou nem um pouco pra ele mostrar que não ficaria somente na promessa, com pouco mais de um mês como profissional ele apareceu na capa da Sports Illustrated com o título “A Star is Born”, e já era querido até pelos torcedores rivais. Com jogadas impressionantes Jordan chamou a atenção dos holofotes o que também incomodou muita gente, a ponto dele ser chamado para o All-Star Games e os veteranos simplesmente não lhe passarem a bola, mas nada disso mexeu com o foco dele.

Logo Jordan começou a ser comparado com as Lendas da NBA como Magic JohnsonDoctor J, mas faltava algo em sua carreira para o colocar nesse patamar, um titulo, e por três vezes esse sonho foi adiado pelo mesmo time, os Pistons. Começava ai os boatos de que Jordan  era um ótimo jogador individualmente falando, mas que não conseguiria fazer que o coletivo vencesse. Michael novamente aceitou o desafio, se colocou na posição de líder e envolveu a equipe.

E lá estava ele, frente ao grande rival, os Pistons, mas dessa vez a história seria outra, Jordan brilhou como nunca levando o time a grande final contra os Lakers, onde enfrentou o grande Magic Johnson que iria se aposentar, e arrebatou o galardão de astro de suas mãos. Jordan assinava seu nome na história do basquete de uma vez por todas.

michael-jordan-dunksEssa conquista foi repetida por mais duas temporadas consecutivas, e para levar o terceiro troféu os Bulls enfrentaram o Phoenix Suns do incrível Charles Barkley, os Bulls venceram e Michael  se tornou o primeiro jogador na história da NBA a ganhar três prêmios de MVP (Jogador Mais Valioso) das Finais de forma consecutiva.

Um ano antes dessa conquista Jordan foi campeão Olímpico novamente com o famoso Dream Team, seleção americana formada pelos maiores astros como Magic JohnsonLarry Bird, Charles Barkley e Karl Malone. Reza a lenda que Jordan teve influência na não convocação de Isiah Thomas por problemas entre eles no All-Star Game de 1985. E mesmo num time repleto de estrelas a de Jordan era a que mais brilhava.

Campeão Olímpico duas vezes, campeão da NBA três vezes, estrela absoluta Jordan ditava tendencias, foi o primeiro a usar calções no lugar de bermudas e um dos primeiros atletas a raspar completamente a cabeça. Lançava todo tipo de produto ganhando muito dinheiro com publicidade, mas de repente sua maior motivação havia acabado, ele não se sentia mais desafiado.

Entra ai o período mais conturbado de sua carreira e por que não dizer de sua vida. Sem tesão pelo jogo ele resolveu parar, mas pouco antes disso o pai dele foi assassinado num assalto, o que segundo ele foi decisivo em sua escolha, ai Jordan resolveu jogar basebol, que de acordo com ele era o sonho do pai, nesse período ele também foi investigado pela NBA por por conta de apostas em seus jogos feito em Vegas (o gambling que é proibido pela Liga). No basebol ele não teve nem de longe o mesmo brilhantismo, mas esse tempo serviu para ele colocar a cabeça no lugar, e depois de uma temporada ele voltou ao Bulls para a alegria de todos e felicidade geral da nação.

Jordan-Papai

“Havia dois jogadores em quadra que empolgavam nas jogadas, eu e Larry. E aí estava um que empolgava jogando no ar.” – Magic Johnson

Depois de um ano jogando basebol e salvando o Mundo dos Alienígenas Mutantes ao lado do Perna longa, finalmente o bom filho à casa torna. Porém Jordan sentiu o tempo que ficou longe das quadras e não estava em sua plenitude física, mais uma vez desacreditado, dessa vez por parte do publico e por críticos que colocavam em questão se ele poderia voltar ao que era antes. Como ele mesmo disse: – “Tendo ficado tanto tempo no topo, você esquece dos estágios e fases necessárias para chegar lá”.

Mas ele não só voltou, como se superou, mais uma vez movido pelo desafio e seu grade espirito competitivo. Curiosamente ele recuperou a boa forma quando passou a usar o numero 23, coisa que da margem a muita lenda urbana por ai.

Novamente em uma final, dessa vez contra o Seattle Supersonics (Nome maneiro não?!), Jordan além de ser campeão pela quinta vez, foi eleito o Mais Valioso das Finais pela quarta, superando a Lenda Magic Johnson não bastasse tudo isso a Final aconteceu no dia dos pais emocionando Jordan profundamente.

Nessa que era sua ultima fase Jordan não baixou o nível, cravou várias marcas como as Setenta vitórias consecutivas pelo Bulls, ele estava sem dúvida alguma no auge, e então novamente decidiu parar.

Era 1998, Jordan era a personificação da excelência do basquete, ou melhor do esporte! Com sua aposentadoria anunciada ele atraiu um publico absurdo para os ginásios, todos queriam presenciar o fim de uma era e ele não fez por menos, juntamente com a excelente equipe do Bulls M.J foi novamente campeão e de forma absurdamente dramática.

Faltavam apenas dez segundos para o fim do jogo, e com o Bulls perdendo de apensa um ponto, Jordan shoota e converte, tornando-se campeão pela sexta vez e também o jogador mais velho a vencer a liga, 35 anos. Não é a toa que Michael tornou-se o embaixador do basquete.

Por fim hoje aposentado, Jordan não consegue ficar tão longe das quadras, ele cuida do império que construiu durante sua Dinastia, que vai desde sua marca “Air Jordan” que é uma subsidiaria da Nike, até seu próprio time de basquete o Charlotte Hornets. Ele também faz um evento uma vez por ano onde fãs do esporte pagam cerca de 15 mil dólares para poder jogar uma partida com o astro (isso foi retratado num episódio do Eu, a patroa e as crianças). E assim ele segue, sendo o ex-atleta que mais lucra no mundo, algo em torno de 90 milhões de dólares num ano, mais que o dobro do segundo colocado segundo a Forbes, a mesma alias recentemente apontou o Rei do basquete como o primeiro atleta a entrar na lista dos bilionários, nada mal não é mesmo? Além de tudo recentemente ele levou os fãs ao delirio mostrando que ainda leva jeito pra coisa acertando 11 arremessos seguidos num de seus eventos. (veja no link)

Space_Jam_Michael_Jordan_LeBron_James_Bugs_Bunny_Looney_Tunes

“Eu não acredito no que vi, eu vi um homem voar!” – Narrador

Considerações Finais: – Eu sempre fui muito fã do Jordan, acho que desde que eu assisti Space Jam pela primeira vez, e resolvi me interessar por basquete, mas fazendo a pesquisa para a coluna eu aprendi tanto que o admiro ainda mais. Algo que me chama a atenção é que ele teve várias oportunidades para se acomodar numa situação confortável, mas não o fez, sua sede por ter sempre mais, por ir sempre além, por se superar, sempre falava mais alto.

Não tem como não admirar essa figura, que por puro esforço e força de vontade se tornou (pelo menos pra mim) o maior atleta da história. Versátil, completo, jogava bem em todas as posições, bloqueava e marcava pontos, o que ele fazia em quadra chega a ser sobre-humano. Mesmo assim continuou simples, e sempre simpático com os fãs, uma vez ele declarou que o maior modelo dele era seu pai, ele disse que atletas podem sim inspirar as pessoas mas que devemos nos espelhar primeiramente na nossa família que é nossa base, além desse conselho muitas das coisas que ele disse e principalmente fez marcaram o mundo como grande exemplo.

Não é nada fácil ouvir de uma pessoa próxima que você não vai dar em nada, ou que jamais realizara seu sonho, digo isso por experiência própria, e nadar contra a maré como esse cara fez, fazendo das tripas coração e chegar no patamar que ele chegou é de se admirar, respeitar e se espelhar. Jordan aceitava todo e qualquer desafio, ele encarava a adversidade como uma oportunidade para o crescimento próprio, e esse ponto de vista o levou até onde hoje ele está. Mesmo sabendo que provavelmente você nunca irá ler isso Jordan, muito obrigado, você me fez uma pessoa melhor!

Material de apoio:

Michael Jordan: Mais leve que o ar

– CBS’s 60 Minutes Jordan Interview

Wikipédia: Michael Jordan

– Nerdcast 413 – NBA – Nerds Basketball Association …

Veja a coluna anterior: PR | BRUCE LEE O DRAGÃO IMORTAL

Me siga no twitter @bruno_renegados e até a próxima…

assbrubsc

  • CIDO
    • Brubs

      Boa Cido, cliquei pensando que iria ouvir I Belive I Can Fly, e fui surpreendido rsrs

    • Miho

      Caraaaaaaaaaaaaaca!!!

      Pior que eu pensei exatamente nessa música Cido XD

      • Cido

        hahahahahah conexão miho…hahah mais ficou muito foda a coluna brubs….o/

  • Eric

    ótema coluna maan! Michael Jordan é lendário!! Infelizmente o máximo que da pra ver hoje é vídeos dele no youtube e o Space Jam (que aliás nunca fica velho)

    • Verdade mano, mas assista esse Doc dele que deixei o link, é bem legal vc ver a visão que outros astros do esporte tem dele, e também um pouco da trajetória, sem dúvida alguma uma Lenda viva!

  • Sensacional Bruno… parabéns pela coluna, fantástica.