Well… Eu não sei muito bem como começar hoje, pode não parecer mas sou tímida pra certos tipos de coisas (é eu sou sim rs).

Como muita gente já sabe eu tenho um Tumblr, na verdade tenho ele já tem bastante tempo, mas voltei a utilizar ele recentemente com o propósito de mostrar um pouquinho de como eu sou mais a fundo e  provocar as pessoas, não provocar no sentido irritar, mas provocar no sentido fazer as pessoas se sentirem excitadas  de certa forma. Não sei bem se está dando certo mas em resumo é isso ai !

Muita gente tem me perguntado sobre BDSM, sobre como eu descobri que gostava, e o que eu penso a respeito da prática e do fetiche…
Bom, eu descobri tem uns 5 anos aproximadamente, decidi experimentar algo diferente um certo dia e isso desencadeou tudo que sou intimamente hoje.

Existem regras de conduta e comportamento sim, diferente do que as pessoas acham não é só chegar amarrar um parceiro (a) e pronto começar uma POTARIA rs, cada um tem o costuma de ditar suas próprias regras ou montar elas de acordo com a convivência com pessoas que gostam e são veteranas no assunto, tenho minhas regras também e o BDSM pra mim sempre será uma mistura homogênea entre meu desejo e meus sonhos.

Por isso, não julgo quem siga os “dez mandamentos” de que a coleira é isso, a chibata é aquilo e que fulano não pode falar com beltrana e assim sucessivamente. Cada um com suas regras sabendo se respeitar.
O desejo que carrego é meu e de quem quiser dividir comigo. Essa regra eu me imponho, as demais eu respeito, mas não tenho a santa obrigação de seguir. Assim construí minhas regras no BDSM e pude caminhar …

Entendam que ter fetiche por determinadas práticas sexuais envolve muito do particular de cada um, e é necessário um certo cuidado com os envolvidos por esse motivo. Pra quem é novo vale o experimento cuidadoso. É uma coisa fascinante, atraente, o fetichismo permite todas as escolhas, mas não perdoa erros. É preciso estabelecer um certo elo entre pessoas comuns a esse tipo de pensamento. Desde que conheci esse “mundo” entendo o fetichismo como integração, e o BDSM como um “agregador” a isso de uma certa forma.  De forma participativa é possível a troca de ideias e experiências capazes de levar aos novatos um pouco da garra necessária para quebrar a ideia de que quem gosta disso é promiscuo, sim infelizmente é assim que é taxado, promiscuidade, assim foi e assim será até as pessoas entenderem que se entregar a desejos assim faz um bem incrível para o ego .

Já me falaram muita merda por conta do meu gosto, mas isso nada me atinge porque tenho a plena convicção que o BDSM não muda as pessoas. Ele agrega.

Quem não tem postura no meio não tem na própria vida. Quem não segue as normas do mundo civilizado não  seguirá as do BDSM. Não digo normas dos livros que os antigos delimitaram posições dentro do BDSM, digo normas de convívio social, e que fique a dica pra quem tem preconceito com isso, antes de criticar, tentem ser felizes sexualmente <3.

ASS

  • Ninguém deveria ser julgado pelo que faz em sua intimidade, muita gente ainda hoje tem a visão de gays são promíscuos por exemplo, não vou mentir ou ser hipócrita, já pensei coisas do tipo, até pq a gente meio que cresce aprendendo assim, mas com a maturidade percebemos que não existem regras nem fórmulas, por exemplo: “se ela traiu o namorado pra ficar comigo, ela uma hora tbm vai me trair!” Isso não é uma regra, cada caso é um caso e se a guria foi infiel talvez tivesse um monte de circunstâncias por trás disso, circunstâncias essas que talvez nunca mais se repitam, a vida não é uma ciência exata, e eu acho importante trazer a tona essas discussões, até pq poucos tem coragem de debater abertamente.
    Parabéns pela coluna e pela Coragem Sadic, beijos

  • Brubs <3