“O futuro dos maiores super-heróis do mundo está ameaçado.”

Vitrine_RdA

SINOPSE

Num futuro sombrio, dez anos após o Superman e a maioria dos heróis de sua época abandonarem o combate ao crime, os novos superseres estão prestes a causar a destruição do planeta. O assassinato do Capitão Átomo pelo Parasita causa um desastre nuclear no Kansas que é o prenúncio do apocalipse. O retorno do Superman, junto com uma nova Liga da Justiça, parece ser um sinal de esperança, mas na verdade representa a chegada do juízo final que decidirá se os humanos devem sucumbir aos superseres ou bani-los da face da Terra. A execução cabe ao Espectro, o espírito da Vingança de Deus, mas para isso ele precisa de uma alma humana para decidir em nome dos mortais. E essa pessoa é Norman McCay, uma pastor que passa por uma crise de fé, como toda a humanidade, e herdou as visões do apocalipse de Wesley Dodds, o Sandman da Era de Ouro.

RESENHA

Eu sou meio suspeito para falar dessa HQ por um motivo bem simples: É (na minha opinião) a melhor HQ que eu já li. Tudo nela foi feito com perfeição, a arte, o roteiro, a narrativa. Tudo!
Mas vou tentar me conter e falar um pouco do que se trata essa obra prima de Mark Waid e Alex Ross.

O Reino da amanhã conta uma história em um futuro que os Super heróis perderam o respeito pela humanidade e começam a fazer justiça pelas próprias mãos. Pra variar tudo começa com o Coringa que explode o planeta diário e mata a todos os funcionários (com exceção de Clark Kent lógico) incluindo Lois Lane.
Superman se junta a Magog, um super herói que possuí um cajado que atira raios de plasma, tem super força e invunerabilidade, para caçar o Coringa. Magog acaba encontrando o coringa um pouco antes do nosso amigo azulão e na frente de toda a população, executa o criminoso a sangue frio. A população ovaciona Magog pela morte do Coringa e o Superman, indignado, resolve abandonar o seu posto de protetor e se isolar em Smallville. Junto com ele, todos os heróis que eram seus aliados, resolvem largar seus postos também, e é ai que a bagunça começa. Passam-se 20 anos, o caos impera entre Super seres e humanos. E a única solução é tentar convencer Superman a voltar as atividades.
Enxergamos toda a história através dos olhos do pastor Norman McCay que é levado pelo Espectro para ser o intercessor pela humanidade em frente a um eminente fim do mundo.

RdApastor

Quando eu li “o Reino do Amanhã” pela primeira vez foi em 1999 e eu lembro da minha reação ao pegar na mão e ficar admirando por 10 minutos todo a arte da HQ antes de começar a ler. E mal eu sabia que a história era tão foda quanto a arte. Já começa aparecendo Wesley Dodds, sim, o Primeiro Sandman tendo visões de um apocalipse. Depois as visões do pastor de como o Superman e sua turma se afastaram de todos. Vemos o que os heróis “aposentados” faziam no ostracismo, as consequencias e aproveito para dizer que as cenas da Mulher maravilha tentando convencer o Superman a voltar são emocionantes.

Trator

Acho que é a HQ com mais “Easter Eggs” que existe. Você tem que ficar ligado em todas as páginas porque quando você menos espera, Alex Ross deixa um presente para você. Desde “Non” o vilão do filme Superman II até personagens de Watchmen (sim, Watchmen é da DC). Sem contar a forma como personagens já conhecidos aparecem. Aproveito e chamo a atenção para a entrada do “Capitão Marvel” no meio da confusão mudando o rumo que a história estava tomando. Espetacular.

shazam-620x465

Mas a verdade é que é injusto ficar falando de um personagem ou daquele. Tudo nessa HQ se encaixa com maestria. Leiam, comprem, guardem como se fosse um tesouro.

Porque na verdade, é exatamente isso.


AN_RdA

ASSMIKE
Sigam o Mike no twitter: @viciadoemler