“O Labirinto foi só o começo. O pior está por vir”

ERMZ2

Antes de mais nada, essa resenha é do segundo livro da série Maze Runner. Caso não tenha lido o primeiro, Maze Runner – Correr ou morrer, aconselho a não continuar esta leitura pois terá alguns spoilers. Caso queira ler a resenha do primeiro livro, pode clicar AQUI.

SINOPSE
Depois de superarem os perigos mortais do Labirinto, Thomas  e seus amigos acreditam que estão a salvo em uma nova realidade. Mas a aparente tranquilidade é interrompida quando são acordados no meio da noite com gritos lancinantes de criaturas disformes. Os cranks que por sinal querem devora-los vivos.
Antes do amanhecer, os Clareanos descobrem que a salvação na verdade pode ser outra armadilha, ainda pior que a Clareira e o Labirinto. E como sempre, as coisas não o que aparentam.

RESENHA
E aqui estou novamente para falar dessa obra prima de James Dashner. A forma como termina o primeiro livro é tão intensa que você não vê a hora de começar o segundo. E já adianto: você não se decepciona.
O autor volta a nos envolver com palavras que você nunca ouviu como, por exemplo, Crank e Berg. Novamente ele coloca Thomas em uma situação extrema em que você não faz a mínima idéia do que vai acontecer. Em um momento Thomas não sabe em quem pode confiar, páginas depois o personagem que ele queria matar, torna-se seu melhor aliado e isso muda o tempo todo.

Começamos a perceber o quanto Thomas é importante para toda a trama. Pouco a pouco você começa a entender o que é o CRUEL e o que eles pretendem com os experimentos. Nesse livro vemos um lado mais humano de Thomas, o porquê de seu envolvimento afetivo com Theresa e, me atrevo a dizer, até mesmo um triangulo amoroso com um personagem novo.

Falando em personagens novos, o autor inclui alguns que são essenciais para a sobrevivência e desenvolvimento da trama. E tudo isso é feito de uma forma tão intensa e tão bem feita, que você os aceita muito rápido e já os coloca como sendo parte da turma.

Nosso personagem principal começa a mostrar que ele é o “cara”. Todas as atitudes que ele toma são em prol de todo o grupo e quase sempre é o que salva o pessoal. Uma coisa que eu gosto na trama é que mesmo o Thomas sendo o principal, existem mais personagens fortes, tanto ou mais do que ele, e torço para que no filme isso seja passado.

Resumindo, o segundo livro é melhor do que o primeiro e me arrisco a dizer que o terceiro será épico.

Para encerrar, terminei de ler o livro com raiva. Com raiva de não ter o terceiro aqui comigo para começar a ler o quanto antes.

Indico com todas as minhas forças. Leiam.

AN_MR2

ASSMIKE
Sigam o Mike no twitter: @viciadoemler