“A todos os garotos que tiveram de aprender a jogar com regras diferentes”

Vitrine_Postx1

SINOPSE Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas – e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

CRÍTICA RENEGADA

Devo começar dizendo que “Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo” é uma daquelas obras sensíveis e peculiares que faz você se apaixonar já no primeiro parágrafo!

O ano é 1987, e com uma narração em primeira pessoa, Sáenz nos conta a história de dois jovens de 15 anos que, cada um com suas particularidades, desejam desvendar o universo. Dante e Aristóteles vieram de famílias mexicanas, porém vivem nos Estados Unidos; e é lá que se descobrem de maneira pura e inocente e transformam momentos simples em únicos e espetaculares.

Aristóteles, mais conhecido como Ari, é um jovem que ainda não descobriu seu lugar no mundo, por isso se sente diferente e deslocado e, como método de proteção, permanece em seu mundo isolado e quieto. Como afronta, Dante é totalmente o contrário. É confiante, persuasivo, falante, e ao se encontrar com Ari ­- por acaso ou por obra do destino – se mostra o único capaz de entender e desvendar o mundo desse garoto tão solitário e incrível. E é a partir daí que os dois começam a construir aos poucos uma ligação unicamente especial.

“O verão não era feito para garotos como eu. Garotos como eu pertenciam à chuva.” (Página 322)

A narrativa de Sáenz é simples, empolgante, poética e maravilhosamente bem escrita. Não veremos um conflito na trama ou um ponto forte de tensão que levará a história ao ápice. Muito pelo contrário, veremos um livro belo e honesto sobre como é difícil ser adolescente, como é ser único e por isso se sentir completamente perdido; sobre como é esperar que a vida lhe dê o que você nem sabe se quer ganhar esobre as dúvidas e os medos de crescer; sobre o medo de não se achar, não se sentir bem e não saber quem realmente é.

Comecei a leitura com uma expectativa gigantesca, e a mesma foi muito mais que correspondida. Me atrevo até a dizer que“Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo” é uma história tão única e tocante quanto “As Vantagens de Ser Invisível”. E se tornou igualmente especial para mim.

“Imaginei como era – como era segurar a mão de alguém. Aposto que às vezes, é possível desvendar todos os mistérios do Universo na mão de uma pessoa.” (Página 156)

Sáenz conseguiu trabalhar todas as relações importantes de nossas vidas, preservando cada momento e sentimento. Criou-se então, uma linda história de amizade, descobertas, amor, perdão que mostra que o ser humano é capaz de seguir, não importando os obstáculos enfrentados e as adversidades ultrapassadas. Com um toque literário e artístico, “Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo” é um livro original, lindo e único.

AN2

ASS_BAH

  • Ooooooooooooooi Barbara,

    Eu li esse livro esses tempos, e gostei tanto <3 O Ari é um reclamão, mas o Dante puxou o melhor dele, e acabei me identificando um pouco com os dois.

    É muito legal, uma história completa e gostei muito da sua comparação com o livro do Chbosky 😉 É nesse nível mesmo.

    Beijoca!

    • OOOOOOE Raquel /o/

      E ele realmente foi tão tocante quanto as vantagens ♥ bom ver que outras pessoas tb amaram essa obra linda ♥